Coloração de gel SDS PAGE. Um desafio antigo com ideias inovadoras. - Scienco
+55 (49) 99971-0145 | vendas@scienco.bio.br

Coloração de gel SDS PAGE. Um desafio antigo com ideias inovadoras.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

 

Quem trabalha com géis de SDS PAGE sabe que não é trivial obter géis perfeitos e bem corados com rapidez e eficiência. Obter um gel “padrão ouro” para publicação em revista científica, muitas vezes é uma tarefa muito desafiadora.
E ainda fazer tudo isso de forma rápida é uma tarefa quase impossível!

 

UM POUCO DE HISTÓRIA

 

A coloração de proteínas em SDS PAGE utiliza o corante Azul de Comassie.  Esse corante foi originalmente inventado para a coloração de têxteis. No entanto, em 1963, foi descrito pela primeira vez para a coloração de proteínas em géis de eletroforese.

 

O Coomassie-Brilliant Blue não é usado somente para coloração de proteínas em géis, mas também é conhecido como componente do reagente de Bradford, usado para estimativa fotométrica quantitativa de concentrações de proteínas em solução.

As duas formas de corantes mais comumente usadas apenas diferem ligeiramente em sua estrutura química e são conhecidas como Coomassie Brilliant Blue R-250 e G-250.

 

 

COLORAÇÃO TRADICIONAL COM AZUL DE COMASSIE

 

Diversas  modificações no protocolo original de coloração vêm sendo descritas na literatura, sendo que originalmente o protocolo de coloração dependia de várias etapas que são descritas abaixo:

 

1° Etapa:

Solução de fixação: essa etapa vem logo após a eletroforese para garantir que as proteínas permaneçam “fixadas” no gel para evitar sua dispersão antes da coloração.

2° Etapa:

Coloração do gel: nesta etapa é necessário o uso de corantes como o azul de comassie para corar as proteínas no gel.

3° Etapa:

Descoloração: aqui geralmente são utilizados solventes a base de metanol e ácido acético e, pra quem já os utilizou, sabe como é desagradável trabalhar no laboratório na presença destes solventes, que possuem odor forte e desagradável.

Muitas etapas, não é? Tudo isso leva horas! Em muitos casos só é possível ver o resultado no dia seguinte!

 

COLORAÇÃO COM COMASSIE COLOIDAL

 

Assim, muitos protocolos vêm sendo desenvolvidos, usando a forma coloidal do corante Azul de Comassie, demonstrando que essa forma é mais sensível pela utilização do corante na forma coloidal. A utilização do Azul de Comassie na forma coloidal, permite que solventes orgânicos não sejam usados (ou sejam usados em pequena quantidade, o que é muito benéfico, pois o pesquisador não fica exposto aos gases tóxicos dos solventes orgânicos), e também reduz a necessidade da etapa de descoloração.

No entanto, um grande desafio para estes protocolos é a remoção completa de SDS do gel, pois sua presença inativa a coloração pelo Azul de Comassie, e o gel não é corado.

Muitas empresas comercializam um corante de Coomassie Coloidal pronto para uso, mas que necessita de várias etapas de lavagens para remoção completa do SDS do gel. Essa lavagem é muito demorada, tornando o processo lento e ineficiente.

Na figura abaixo é possível comparar o método de coloração utilizada por alguns fabricantes e o Fast Blue com Potencializador, fabricado pela Scienco Biotech.

 

NOVO FAST BLUE DA SCIENCO

A Scienco criou uma nova fórmula de Comassie Coloidal, o reagente Fast Blue Stain Reagent que utiliza uma mistura de sais que são capazes de sequestrar imediatamente o SDS e outros componentes do gel que inviabilizam a coloração. Assim, esses sais agem como potencializadores de coloração, e os passos de lavagem para remoção de SDS não são necessários.

A etapa de coloração também é mais rápida do que corantes tradicionais e a lavagem final é feita com água, e é opcional.

Caso o pesquisador queira uma coloração muito mais intensa, pode deixar o gel na presença do corante durante a noite, mas este passo é opcional.

 

Resultado: Coloração rápida e sensível de seu gel SDS-PAGE.

 

Veja como o procedimento é simples e rápido:

 

Veja também as principais diferenças entre o Fast Blue da Scienco e corantes de outros fabricantes.

 

 

Referências

  1. Arndt, C., Koristka, S., Feldmann, A., Bartsch, H., & Bachmann, M. (2012). Coomassie-Brilliant Blue Staining of Polyacrylamide Gels. Protein Electrophoresis, 465–469. doi:10.1007/978-1-61779-821-4_40
  2. Májek P, Riedelová-Reicheltová Z, Pecánková K, Dyr JE. Improved coomassie blue dye-based fast staining protocol for proteins separated by SDS-PAGE. PLoS One. 2013;8(11):e81696. Published 2013 Nov 21. doi:10.1371/journal.pone.0081696

Outras Publicações

Olá, como podemos te ajudar?