De 28 de novembro a 2 de dezembro, contemplados no programa Sinapse da Inovação participarão, em Lausanne e Zurique, da Semana de empreendedorismo Academia-Industry Training (AIT), iniciativa do EPFL (École Polytechnique Fédéral de Lausanne) e Swissnex Brazil. O treinamento na Suíça visa transformar pesquisas de brasileiros e suíços em inovações de mercado e complementará a primeira etapa do programa, realizada de 3 a 7 de outubro, no Rio de Janeiro.

“A experiência foi fantástica. Foi uma semana de treinamento intenso de inovação, educação, ciência e empreendedorismo. Além do aprendizado durante o treinamento, um ponto forte do evento foi o networking criado com outros pesquisadores e empreendedores do Brasil e da Suíça”, disse a Prof. Maria de Lourdes Borba Magalhães, que representou a startup i9 Biotec, voltada para o desenvolvimento de produtos biotecnológicos inovadores, incluindo kits de purificação de amostras de DNA, enzimas biotecnológicas e outros insumos. “Como docente da UDESC, pesquisadora e empreendedora, me sinto muito privilegiada em ter tido a possibilidade de participar deste evento e o programa Sinapse da Inovação foi decisivo para possibilitar minha participação no AIT da Swissnex.”

Ela e outros dois contemplados na quinta edição do Sinapse foram ao evento no Rio. São eles: Mateus Vieira Carlesso, da Revella, empresa focada em produtos relacionados à biotecnologi; e Leandro Antunes Berti, da Nanovets, cujo objetivo é o desenvolvimento de fármacos, equipamentos e serviços voltados ao uso animal. Todas as empresas catarinenses foram premiadas ao final do Camp Rio, dia 7 de outubro. As empresas tiveram destaque como melhor pitch (Nanovets), destaque empreendedor (Revella), votação popular (N-Power) e melhor apresentação de todas (i9 Biotec).

Reconhecimento

“Durante o evento, percebi que Santa Catarina é referenciada como exemplo em inovação, e o Sinapse encanta cientistas e empreendedores do Brasil e do Mundo, como programa modelo para fomento à Inovação Tecnológica. Este resultado é de fato, uma consequência direta do esforço do Governo do Estado, da FAPESC e da Fundação Certi,” concluiu a Prof. Maria de Lourdes.

Durante o encontro, pesquisadores de 10 startups do Brasil – sendo 4 catarinenses- e 10 startups da Suíça tiveram workshops para desenvolver sua capacidade empreendedora, abordando a análise de mercados, estratégias para captação de recursos e preparação para a apresentação da empresa. Também visitaram instituições-chaves do Brasil, participando de palestras e eventos de networking para identificar oportunidades de mercado e estreitar as relações entre atores dos dois países. O Camp Rio teve apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC

Deixe-nos um Comentário :)