A ansiedade pode ser entendida como uma reação do nosso organismo na tentativa de resolução prévia para situações estressantes ou incertas. Quando em excesso, porém, a ansiedade torna-se patológica, gerando reflexos físicos como tonturas, sudorese, falta de ar e insônia.

Os problemas do sono são explicados pela forma como a ansiedade afeta a excitação fisiológica, dificultando os processos envolvidos durante o adormecimento adequado. A insônia, por sua vez, causa uma série de efeitos deletérios, que somados à ansiedade excessiva e ao estresse se transformam em uma verdadeira bola de neve na vida de qualquer indivíduo.

Que os problemas de falta de sono e ansiedade estão intimamente relacionados, já está claro. A novidade é que pesquisadores americanos identificaram que modestas melhorias na qualidade do sono podem reduzir potencialmente a ansiedade, isto é, o sono pode ser visto como um fator de risco, tornando a qualidade do sono um novo alvo terapêutico para àqueles que sofrem de ansiedade.

Autora: Ma. Mariana Feltrin Canever

http://www.scienco.bio.br

Referências:
BEN, E. Simon et al. Overanxious and underslept. Nature human behaviour, 2019.

NAUMAN, Shazia; MALIK, Sania Zahra; JALIL, Faryal. How Workplace Bullying Jeopardizes Employees’ Life Satisfaction: The Roles of Job Anxiety and Insomnia. Frontiers in psychology, v. 10, 2019.

Deixe-nos um Comentário :)